Indicação de Yglésio sugere que pessoas com deficiência sejam inclusas no grupo de risco da Covid-19

Uma indicação de autoria do deputado Dr. Yglésio (PROS) e enviada ao Executivo Municipal e Estadual, além da Secretaria de Estado da Saúde, prevê que pessoas com deficiência tenham prioridade no atendimento em caso de suspeita e/ou confirmação da Covid-19.

Segundo o parlamentar, a indicação é uma forma de solicitar às autoridades competentes o cumprimento de políticas públicas direcionadas às pessoas com deficiência, no que se refere à questão do atendimento prioritário em diversas frentes: hospitais e demais unidades de saúde.

A indicação reforça o posicionamento do presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), Marco Antônio Castilho, que, no dia 14 de abril, levantou discussão sobre a inclusão imediata de pessoas com deficiência (PCDs) no grupo de risco.

Essas pessoas ainda não estão inclusas no grupo de risco, mas em alguns casos há condições das PCDs que as põe em situação de grupo de risco, como a presença de doenças como paralisia cerebral, Atrofia Muscular Espinhal (AME), Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), entre outras doenças raras.

O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos disponibilizou uma cartilha que instrui as pessoas com deficiência sobre como se proteger do vírus, mas não fala em inclusão delas no grupo.

Dia da pessoa com deficiência monocular

Nesta terça-feira (5), é comemorado o Dia do Deficiente Monocular, data comemorativa criada em novembro de 2018 pelo deputado estadual Neto Evangelista (DEM), que chama atenção para a necessidade de acentuar esforços em termos de saúde pelo poder público.

“A data, que coincide com o início do ‘Lockdown’ na Ilha de São Luís, cai em um momento da saúde pública estadual em que é mais do que preciso discutir a necessidade de darmos prioridade aos deficientes em todos os âmbitos da sociedade maranhense e não só em filas de banco ou casas lotéricas, por exemplo”, disse Dr. Yglésio.

Nesse período de pandemia, os deficientes são os que mais encontram dificuldades para se proteger da Covid-19, segundo o parlamentar, pois têm certas limitações. “Mas se a infecção acontecer, as unidades precisam atender a esses pacientes com prioridade. Para que isso ocorra, eles precisam ser incluídos no grupo das ações preventivas e curativas do novo coronavírus, assim como os idosos e gestantes”, disse Dr. Yglésio.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta