Escola da rede municipal é vice-campeã nacional do prêmio MPT na Escola

15193_ueb_gomes_souza_mpt_271015_foto_fabriciocunha_107Os estudantes Kaique Magno Viana, de 10 anos, Higor de Jesus Coelho Barbosa, 11 anos, e Geiciane de Jesus Costa, 10 anos, da Unidade de Educação Básica (U.E.B) Gomes de Sousa, na Vila Maranhão, são os vice-campeões nacionais do Prêmio MPT na Escola na categoria Conto ou Poesia, com o poema intitulado “Cordel do Trabalho Infantil”. O concurso, idealizado pelo Ministério Público do Trabalho em parceria com o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil no Maranhão (Fepetima), contou com a adesão e o apoio da Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed). O objetivo é fomentar a participação de crianças e adolescentes nas ações de mobilização, conscientização e prevenção do trabalho infantil.

Foi a primeira vez que as escolas da rede municipal participaram da etapa nacional da premiação. Inscreveram-se no concurso 95 escolas da rede municipal de São Luís, nas categorias Conto ou Poesia, Esquete Teatral, Música e Pintura. As vencedoras da fase regional disputaram a etapa nacional do certame. Além dos estudantes da U.E.B. Gomes de Sousa, conquistaram posições de destaque também os estudantes da U.E.B. Uruati (Quebra Pote), detentores do 4º lugar na categoria esquete teatral. A U.E.B. Elzuíla Abreu (Turu) ficou em 10º lugar na categoria Música e a U.E.B. Sá Valle, em 11º lugar na categoria Pintura.

O secretário municipal de Educação, Geraldo Castro Sobrinho, parabenizou o desempenho dos estudantes. “Em nome do prefeito Edivaldo, parabenizo o desempenho dos estudantes da nossa rede na edição 2015 do prêmio MPT na Escola. A educação é a melhor resposta possível para a erradicação do trabalho infantil e para tantas outras mazelas que tentam roubar o futuro de nossas crianças e adolescentes. Nesse sentido, este resultado é um indicador tanto do talento dos nossos estudantes quanto da dedicação de seus professores e da seriedade com que desenvolvem seu ofício“, destacou o titular da Semed, Geraldo Castro.

PARCERIA –  O procurador do Trabalho Luciano Aragão Santos destacou a parceria com a Prefeitura de São Luís, por meio da Semed, e disse que a edição de 2015 do prêmio superou as expectativas. “A parceria da Semed foi imprescindível. Pude perceber ainda o empenho e a dedicação das crianças nas atividades, o que com certeza foi fruto do alto comprometimento de todos e da multiplicação do conhecimento ministrado pelos professores e demais profissionais envolvidos no projeto”, avaliou o procurador.

COMEMORAÇÃO – Na U.E.B. Gomes de Sousa, o clima é de comemoração. Para compor o “Cordel do Trabalho Infantil”, os estudantes tiveram a orientação do professor Ulisses Leonardo Rabelo, titular da turma de 5º ano da escola. Ele recebeu a notícia da vitória pela gestora da unidade de ensino. “Quando ela chegou na sala de aula para contar a notícia, fiquei surpreso e muito feliz. Os meninos são muito bons de redação e já tinham a noção de rima. Obtivemos uma colocação bem satisfatória”, resumiu o educador.

Kaique Magno Viana, um dos compositores do poema vencedor, é fã de leitura e escrita, de Artes e de Matemática. Para ele, o 2º lugar também foi surpresa. “Fiquei até sem saber o que pensar quando soube, foi uma surpresa muito grande. Minha família gostou muito. Minha mãe disse pra eu continuar sempre assim, estudando muito, para vencer na vida”, disse o garoto, que tem o sonho de ser arquiteto.

Os pais de Higor e Geiciane também ficaram muito felizes com a notícia. “Pediram para eu continuar me esforçando nos estudos”, disse Higor, que recentemente conquistou também o 1º lugar da escola no concurso de redação promovido pelo Programa de Erradicação às Drogas da Polícia Militar do Maranhão (Proerd). Geiciane, a mais tímida do trio do “Cordel do Trabalho Infantil”, disse que adora ler, especialmente as fábulas infantis. “Minha mãe disse pra eu continuar assim, sendo estudiosa, pra eu vencer e ser feliz”.

Na U.E.B. Uruati, a esquete teatral “Acorda, criança, que não é hora de estudar” deixou orgulhosa toda a equipe escolar. Silvia Regina Pereira de Carvalho, professora de Artes do 8º e 9º ano da escola, acompanhou todo o trabalho desenvolvido pelos educandos. “Houve engajamento de todos: da gestora, dos estudantes e dos demais professores. Conseguimos fazer com que todos se sentissem úteis e valorizados e estamos muito felizes”, concluiu.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta