Dono da Maxtec teria comprado um imóvel de laranja

Prédio comercial adquirido por Rogério Albino de Sousa teria sido negociado junto com o deputado federal Júnior Lourenço.

Imóvel estaria sendo reformado para ser alugado ao Governo do Estado

Imóvel estaria sendo reformado para ser alugado ao Governo do Estado

O blog do Antônio Martins apura se o empresário Rogério Albino de Sousa, dono da empresa Maxtec Serviços Gerais e Manutenção Industrial Ltda, comprou um prédio comercial de um laranja. O imóvel teria entrado no radar de supostas investigações que a polícia do Maranhão e o Ministério Público estão fazendo em conjunto para desmontar uma organização criminosa com atuação no estado.

Na semana passada, entretanto, o caso voltou à tona com as denúncias envolvendo venda e compra de emendas.  A propriedade que estaria no radar das supostas investigações e que teria sido negociado pelo deputado federal Júnior Lourenço (PR) com o empresário, fica localizado na Avenida dos Holandeses, em São Luís. O negócio, segundo informações obtidas pela reportagem, teria custado a bagatela de R$ 4 milhões.

Compra de imóveis é um dos caminhos usados por operadores de propina e agiotas para lavar dinheiro desviado dos cofres públicos, segundo acervo das documentações aos quais tivemos acesso.

Rogério Albino é um dos sócios da Maxtec, empresa de R$ 94 milhões em contratos

Rogério Albino é um dos sócios da Maxtec, empresa de R$ 94 milhões em contratos

Para isso, conforme os arquivos obtido por fonte anônima, os envolvidos constumam frequentemente utilizar  ‘laranjas’, que são pessoas que “emprestam” o nome à politicos e agiotas para ocultar a origem ou o destinatário de dinheiro ilícito, especialmente em operações que investigam crimes de lavagem de dinheiro e corrupção.

Chamou a atenção do blog a forma como o imóvel foi adquirido já que não está registrado nem no nome de Júnior Lourenço e muito menos no nome de Rogério Albino , que teria adquirido. O empresário é dono da Maxtec, empresa que possui R$ 94.231.045,19 por 38 contratos com a Prefeitura de São Luís e Governo do Estado.

Desde o início da semana passada, após suspeitas sobre emendas parlamentares envolvendo a bancada maranhense no Congresso, o blog faz um levantamento com base em documentos inéditos para desvendar negociações obscuras com indicios de prática criminosa com uso do dinheiro público que estaria abastecendo, inclusive, o esquema de agiotagem no estado.

Conforme revelamos em matéria anterior, o envolvimento de integrantes da bancada maranhense com supostos esquema de corrupção pode abrir a caixa-preta do Senado e da Câmara Federal. Destacamos, inclusive, que as denúncias envolvendo lobbys para venda de emendas parlamentares, colocam sob suspeita deputados, senadores, advogados, contadores, prefeitos e empresários.

Na próxima matéria vamos revelar detalhes de contratos da Maxtec com a administração da capital maranhense, comandada pelo PDT – partido presidido no Maranhão pelo senador Weverton Rocha, que é amigo do dono da empresa.

Ex-prefeito de Miranda do Norte, Júnior de Lourenço, agora deputado federal.

Ex-prefeito de Miranda do Norte, Júnior de Lourenço, agora deputado federal.

DEPUTADO PODE DESMONTAR REDE

A mega operação que está prestes a acontecer, deve apresentar o desmonte do esquema que suga milhões de reais de dinheiro do contribuinte desde a década passada, sob o comando do mesmo chefe. Os negócios são montados com a troca de emendas parlamentares por votos, comandadas pelo ex-prefeito de Miranda do Norte, Júnior de Lourenço, agora deputado federal. Lourenço figura como ponto de partida da investigação, e em torno dele foram identificados os agiotas e os laranjas que completam a estrutura da organização criminosa. No entanto, esse também é um assunto para a próxima matéria.

1 responder
  1. jornalismopw
    jornalismopw says:

    Maxtec tem novos proprietários desde 2018

    Em resposta a postagens de blogs locais a direção da Maxtec Serviços Gerais e Manutenção Industrial Eireli informa em nota que a empresa possui novos proprietários desde 2018. Afirma ainda que a antiga gestão não possui mais qualquer vínculo empregatício ou gerencial com a empresa, e que todos os contratos são regidos pela transparência, ética empresarial e leis de responsabilidade fiscal, social e ambiental. Veja a íntegra da nota.

    Nota de esclarecimento

    Em defesa da verdade e em respeito aos clientes, colaboradores e ao público em geral, a direção da Maxtec Serviços Gerais e Manutenção Industrial Eireli informa que, em 2018, a empresa foi adquirida por novos proprietários, que assumiram desde então o total controle administrativo e a gestão financeira desta conceituada empresa, que atualmente gera mais de 1739 empregos diretos.

    Portanto, desde 2018, o Senhor Rogério Albino não possui mais qualquer vínculo com a empresa, seja ele empregatício ou gerencial. Todos os nossos contratos públicos e privados são regidos pela transparência, ética empresarial e legislações de responsabilidade fiscal, social e ambiental. A direção da empresa está disponível para prestar novas informações e esclarecimentos julgados necessários.

    São Luís/MA, 16 de junho de 2020

    Robert Max Mousinho

    Diretor comercial

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta