Sônia Campos esconde o que fez com quase R$ 20 milhões que Axixá recebeu

A prefeita de Axixá, Sônia Campos – a Soninha, poderia ter construído um hospital de bom porte inteiro, equipado, com pessoal contratado e ainda sobraria muito dinheiro. Porém, desde o início da pandemia, a Prefeitura tem “guardado” as verbas extra que recebeu neste ano, sem investir em EPI, médicos, testes, respiradores e leitos de UTI.

Dos R$ 63.190.983,99 previstos no Orçamento Geral do Município para Exercício Financeiro de 2020, para despesa da máquina, o município já arrecadou no período a bagatela de R$ 9.808.399,74. No entanto, o volume de recursos extras de janeiro até junho é bem maior. Logo em janeiro, o município axixaense recebeu a quantia de R$ 524.524,37 em recursos públicos referentes ao repasse da venda do pre-sal, que foi repartida com estados e municípios.

Arrecadação Geral do Orçamento Municipal

Arrecadação Geral do Orçamento Municipal

Depois disso, o município continuou recebendo do Governo Federal. A previsão inicial transferências da União era de 47.747.921,63, mas no período já foram repassados o equivalente a R$ 7.684.429,73. Em seguida começaram a cair as verbas das emendas parlamentares, que deveriam ter sido investidas, para o combate ao coronavírus.

As transferências do Estado para os cofres municipais também são elevadas. A previsão inicial era de R$ 10.035.639,98, mas até o momento já foi repassado a quantia de R$ 632.020,54.

Transferência da União para o município

Transferência da União para o município

A arrecadação de verba extra-orçamentária até o momento foi de R$ 930.217,17. Além disso, a cidade ainda recebeu R$ R$ 1.022.998,17 de ajuda emergencial aprovada pelo Senado. Em seguida, recebeu mais R$ 1.419.969,00 de verba extra para combate à Covid-19.

Transferência da União para o município

Transferência da União para o município

Arrecadação Extra

Arrecadação Extra

Verbas do pré-sal

Verbas do pré-sal

 

Verba para auxiliar no combate ao coronavírus

Verba para auxiliar no combate ao coronavírus

Verbas extras para o combate à covid-19

Verbas extras para o combate à covid-19

Somando tudo, o município recebeu neste ano o equivalente a R$ 19.055.067,18. De todo este dinheiro, a administração da prefeita ‘Soninha Rapina’ – alusão à operação em que a chefe do executivo axixaense foi presa, ainda não conseguiu prestar nem da metade do que recebeu. Nos próximos dias, vamos detalhar os valores que caíram nos cofres municipais e os principais contratos realizados no período.

MAIS DENÚNCIAS
Outro caso que a reportagem está apurando é uma denúncia de que uma empresa contratada pelo município axixaense para fazer obras em escolas não tinha nenhum mestre de obra, nem engenheiro, nem pedreiro. Também não tinha sede nem funcionário registrado. Ela terceirizou as obras e contratou amadores para trabalhar. É mais um caso gravíssimo envolvendo a gestão de ‘Soninha Rapina’.

COVID EM NÚMEROS
Axixá concentra um dos maiores números de casos de covid-19 na Região do Munim: 84 monitorados, com 109 confirmados e quatro mortes. A quantidade de infectados pode ser ainda mais, pois 45 casos suspeitos ainda aguardam a confirmação dos exames.

Rafael da Juventude lança pré-candidatura a vereador na capital maranhense

Rafael da Juventude, a voz das comunidades. Rafael, tem um perfil humilde, mas sempre foi muito lutador para trazer melhorias paras diversas Comunidades, em especial a Vila Luizão.

Conhecido pela classe política, movimento estudantil e líderes comunitários, Francisco de Assis Gama mais conhecido como Rafael da Juventude, revelou que tentará uma vaga no legislativo municipal deste ano.

Morador da Vila Luizão, Rafael da Juventude conhece de perto a realidade da periferia da cidade e os anseios da população. Ativista político – Rafael possui um extenso currículo como liderança comunitária. Atuou diretamente em várias campanhas eleitorais.

“Quero trabalhar para uma São Luís melhor, estar presente nos bairros, pois a principal insatisfação e reclamação da sociedade é que os vereadores depois que ganham desaparecem. O parlamentar tem que estar sempre nos bairros buscando saber as necessidades da comunidade, cobrar mais do executivo para melhorar o atendimento público de saúde, esta inclusive será uma das minhas principais bandeiras”, ressaltou ao Maranhão de Verdade.

Apesar de nunca ter pretensões políticas, seu expressivo trabalho social rendeu convites de partidos políticos para uma candidatura ao cargo de vereador na cidade de São Luís, e ao analisar todos os partidos, decidiu ingressar no partido Progressista, pela consistência, certeza, seriedade, compromisso, e acima de tudo, o partido mais organizado da cidade.

Rafael da Juventude tem a seu favor o carisma e o conhecimento das necessidades mais complexas das comunidades, ele é sem dúvida um forte candidato do Partido Progressista.

Hildo Rocha repercute trabalho em prol da liberação de R$ 96 milhões que Bolsonaro destinou para o governo Dino combater a Covid-19

“Estou ajudando a trazer o dinheiro para o Maranhão, mas se roubarem esse dinheiro que é para salvar vidas eu vou pra cima”

Representando o maior bloco partidário da Câmara dos Deputados na Comissão Mista do Congresso Nacional da Covid-19, destinada a acompanhar a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira das medidas relacionadas à emergência de saúde pública de importância internacional relacionada ao novo coronavírus (Covid-19), o deputado Hildo Rocha tem conseguido liberar muitos recursos para os municípios do estado.

Além de integrar esse importante colegiado, que é composto por 24 membros (doze senadores e doze deputados federais), Hildo Rocha foi o relator setorial da saúde do orçamento deste ano. Hildo Rocha tem sido presença marcante em todos os debates e votações referentes ao tema e trabalha firme a fim de conseguir recursos para os municípios maranhenses, e para o governo do Estado do Maranhão.

Mais 96 milhões de reais do Governo Bolsonaro para o Maranhão

Recentemente o presidente Jair Bolsonaro anunciou a liberação de mais R$ 96 milhões de reais para o governo do Maranhão aplicar nas ações de combate à Covid-19.

“Mesmo sendo adversário político do governador Flávio Dino eu trabalho para liberar recursos financeiros do governo federal ao governo do Estado do Maranhão porque o meu interesse é ajudar os meus conterrâneos e, nesse momento de pandemia, o mais importante é salvar vidas. Quando a verba pode ser destinada também para os municípios eu prefiro colocar para os municípios porque alguns são mais bens administrados e mais confiáveis no que diz respeito à correção na execução do que o governo do Maranhão”, enfatizou o parlamentar.

Ciente de que os tramites burocráticos demandam tempo, o deputado Hildo Rocha se reuniu com o ministro da Saúde para pedir celeridade na liberação dos R$ 96 milhões que o presidente Bolsonaro liberou para o Maranhão.

Deputado Hildo Rocha durante encontro com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

“Pedi ao presidente Bolsonaro que o Maranhão seja beneficiado com esses recursos que são destinados aos governos estaduais. Falei com o ministro Eduardo Pazuello que me garantiu nos próximos dez dias a liberação desse dinheiro,” destacou.

União em defesa da vida

Rocha enfatizou que a pandemia causada pelo novo coronavírus exige união de esforços. “Por isso tenho votado, aqui na câmara, sempre a favor das matérias que beneficiam o Maranhão, sejam as prefeituras ou o governo do Estado. Assim, votei a favor de todas as Medidas Provisórias editadas pelo presidente Jair Bolsonaro que tem como finalidade ajudar os Estados com recursos federais”, afiançou o deputado.

Fiscalização rigorosa

O parlamentar enfatizou que irá se manter vigilante a fim de assegurar que o dinheiro que é destinado para salvar vidas não seja roubado. “Se desviarem o dinheiro eu vou pra cima, vou fiscalizar, eu denuncio quem roubar o dinheiro que é destinado a salvar vidas. Com a graça de Deus, essa pandemia irá passar. Mas enquanto ela existir continuarei sempre trabalhando para ajudar a combater os efeitos dessa maldita doença”, asseverou Hildo Rocha.

Carlinhos Barros anuncia chegada do grupo mateus em Vargem Grande

Vargem Grande comemora a chegada de mais um importante investimento. O Grupo Mateus, um dos maiores conglomerados de empresas do Norte e Nordeste, vai implantar uma loja na cidade. Trata-se do Camiño Supermercado, que incrementará a economia local e da região, favorecendo a geração de emprego e renda.

O anúncio foi feito pelo prefeito Carlinhos Barros após reunião com o diretor de expansão do Grupo Mateus, Frederico Pimentel. “Com muito orgulho anuncio mais um grande investimento do setor privado em Vargem Grande. Trata-se de um empreendimento no segmento alimentício e eletrônico do grupo Mateus. Para frente Vargem Grande que tanto amo”, disse o gestor por meio das redes sociais.

Também participaram da reunião os secretários José Barros Filho (Infraestrutura), Erick Barros (Esportes e Lazer) e Cassiane Garreto (Meio Ambiente).

O Camiño será instalado em um terreno de 12 mil metros quadrados na Rua São Sebastião, próximo ao cruzamento com a Avenida Castelo Branco e gerará, segundo o diretor de expansão Frederico Pimentel, algo em torno de 80 empregos na mão de obra durante a construção, que deve iniciar até o próximo dia 15 de julho. Após a inauguração, que está prevista para novembro deste ano, serão 140 empregos diretos. Isso sem falar da geração de renda indireta.

O secretário José Barros Filho falou da importância da chegada do Grupo em Vargem Grande destacando a geração de empregos e com a expectativa de que em breve outras empresas também decidam se instalar na cidade.

“Com a chegada do Grupo Mateus na nossa cidade, teremos muitos empregos. Essa realmente é uma notícia maravilhosa. Nosso povo tem que deixar de depender de benefícios sociais e de prefeitura como principal empregador. Nosso povo tem que passar a ganhar mais, ter uma vida melhor. E isso só se consegue dando oportunidades, isso é muito bom. O que mais nos alegra é saber que estamos no caminho certo, no momento que uma grande empresa decide se instalar na nossa cidade. Tenho certeza que em pouco tempo teremos diversos outros investimentos de grande porte”, explicou Barros Filho.

Frederico também explicou que o Camiño Supermercado de Vargem Grande terá uma grande estrutura, construída nos moldes do Mix Mateus. “Os Camiños geralmente são instalados em estruturas existentes e em Vargem Grande terá uma estrutura diferenciada, uma vez que será construída para tal. Será um dos maiores do estado”, disse o diretor de expansão do Grupo Mateus e concluiu: “Vargem Grande é uma cidade que vem se tornando destaque na região, por isso faremos esse investimento diferenciado”.

Questionário põe pesquisa do Instituto Prever sob suspeita em São Luís

Metodologia usada no levantamento beneficia Braide e coloca Wellignton em último lugar. Os dois são os únicos remanescentes do pleito de 2016 na disputa deste ano.

Braide e Wellignton são únicos remanescentes de 2016 no pleito de 2020

Uma informação disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas providencialmente ignorada hoje por alguns órgãos de impresa, dá conta de uma suposta manobra do Instituto Prever para beneficiar o deputado federal Eduardo Braide, pré-candidato do Podemos à Prefeitura de São Luís nas eleições deste ano.

Trata-se do questionário aplicado pelo Prever no levantamento, divulgado neste sábado (04/07) pelo blog do jornalista Diego Emir. Conforme analisou o site Maranhão de Verdade, em vez de mostrar ao eleitor um cartão circular com os nomes dos candidatos, expediente usado para não privilegiar nenhum dos concorrentes, o Instituto apresentou uma lista em ordem alfabética. Assim, o nome de Eduardo Braide pode aparecer sempre em primeiro lugar e o do deputado Wellignton do Curso (PSDB), estará sempre em último lugar.

Questionário da pesquisa Prever provoca questionamentos

A provocação é necessária, pois os dois são os únicos remanescentes do pleito anterior na capital maranhense que estão na disputa deste ano. O método do Prever contraria a prática do mercado e causa estranheza entre os demais institutos, com atuação em São Luís, no Maranhão e até mesmo no País.

Em eleições passadas, como em 2016, vários institutos sempre usaram a cartela circular, e não a lista em ordem alfabética. Um exemplo disso, por exemplo, foi a pesquisa Ibope divulgada naquele pleito pela TV Mirante, afiliada da Globo no Maranhão.

Na época, o instituto usou a cartela circular e não apenas a lista em ordem alfabética. Segundo apurou a reportagem, o método usado pelo Ibope é uma forma de não beneficiar nenhum dos concorrentes, já que na pré-campanha, quando a maioria dos eleitores não sabe bem o nome de um candidato, qualquer tratamento diferenciado a um deles pode inflar sua intenção de voto.

Em 2016, Ibope informou ao TSE um método que não beneficiava nenhum dos candidatos

Além de beneficiar Braide e colocar Wellignton do Curso em último lugar no questionário da pesquisa, chama a atenção também a empresa que contratou o instituto. Trata-se da Farol Comunicação e Marketing Eirel, de propriedade do jornalista Diego Emir, editor do blog homônimo.

O escriba é assessor de comunicação do prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, que é aliado de Braide e o coordenador da campanha do deputado federal na corrida pelo Palácio de La Ravardière em 2016. Talvez isso justifique a metodologia usada pelo instituto.

 

 

Corpo de Bombeiros renova licença de funcionamento do Terminal Rodoviário de São Luís

O Governo do Estado, através da MOB informa à sociedade maranhense que foi emitida Licença de Autorização de funcionamento de todos os setores do Terminal Rodoviário de São Luís, expedida pelo Corpo de Bombeiros do Estado.

Segundo o presidente da MOB- Lawrence de Melo- a licença de pleno funcionamento decorre da finalização das obras da cobertura da Rodoviária, no perímetro que estrava interditado pela Defesa Civil e que já se encontra liberado.

“Iniciamos processo para emissão do Certificado Anual de Prevenção e Combate a Incêndios, após atendidos requisitos legais e de segurança para atividade do terminal, como recarga de todos os extintores de incêndio e treinamento de funcionários da atual gestora da rodoviária, qualificando-os para o uso emergencial dos extintores”, explicou o presidente.

Continuamos as obras da cobertura da Rodoviária, avançando para que todos os setores de embarque e desembarque sejam restaurados. “Desse modo, no sabado(27), o setor que foi desinterditado estará liberado para o uso público dos passageiros e empresas de transporte, com total segurança”, finalizou Lawrence.

Semus pagou R$ 1 mi a mais por dispensa com Maxtec

Contrato para atender Hospital da Mulher custou mais caro que um firmado pelo Hospital Djalma Marques para atender o mesmo objeto.

Maxtec está em nome de Isadora Gonçalves, filha de Ricardo Gonçalves, dono da Cefor

Maxtec está em nome de Isadora Gonçalves, filha de Ricardo Gonçalves, dono da Cefor

A Semus (Secretaria Municipal de Saúde) de São Luís, por intermédio do Fundo Municipal de Saúde, fez um contrato emergencial, sem licitação, para contratação de empresa especializada em serviço de limpeza, asseio e conservação com controle, manuseio, coleta seletiva, transporte e destinação final dos resíduos recicláveis gerados nas instalações físicas e mobiliários do Hospital da Mulher, tendo em vista atender as necessidades da pasta em decorrência da situação de Calamidade Pública provocada pela disseminação do Covid – 19 (Coronavírus) por todo território nacional.

O contrato emergencial foi fechado com a Maxtec Serviços Gerais e Manutenção Industrial Eireli, que poderá receber até R$ 3.647.995,02 para prestar o serviço em caráter emergencial por período de seis meses, prorrogável por períodos sucessívos, enquanto perdurar a necessidade de enfrentamento dos efeitos da situação de emergência de saúde pública de importância internacional, declarada por meio da Portaria n° 188, de 3 de fevereiro e nos termos do art. 4°-H da Lei 13.979 de 2020.

O contrato se divide em duas especificações: o de Mão-de-Obra, no valor de R$ 1.856.078,70 ao custo de R$ 309.346,45 ao mês; e de Material de Limpeza, Material Permanente e EPIs, ao valor de R$ 1.791.916,32, com custo mensal de R$ 298.652,72.

Contrato por dispensa, com prazo de 6 meses, onera cofres públicos em mais de R$ 1 mi

Contrato por dispensa, com prazo de 6 meses, onera cofres públicos em mais de R$ 1 mi

Curioso é que um semelhante, firmado pelo Hospital Djalma Marques (Socorão I), com a mesma empresa para atender o mesmo objeto, teve um valor bem menor. A diferença, entretanto, é que a porposta assinada em fevereiro de 2019, por R$ 2.637.996,00, com prazo de doze meses, serviu para execução de serviços de limpeza, asseio e conservação com controle, manuseio, coleta seletiva, transporte e destinação final dos resíduos recicláveis, bem como a coleta interna e acondicionamento de resíduos hospitalares e fornecimento de todos os materiais de consumo e equipamentos necessários para execução dos serviços solicitados.

Ao fazer uma análise das diferenças entre as duas propostas contratuais é possivel observar que o novo contrato encarece em mais de R$ 1 milhão a prestação do serviço.

Quando o assunto é pandemia da Covid, mesmo objeto tem valores diferentes

Quando o assunto é pandemia da Covid, mesmo objeto tem valores diferentes

A empresa é a mesma que havia sido beneficiada com vários adtivos. Levantamento realizado pelo blog constatou que além da Secretaria Municipal de Saúde e do Hospital Djalma Marques – uma autarquia municipal, a Maxtec possui contratos também com as Secretarias l de Obras e Educação, além da pasta de Urbanismo.

Ainda não concluímos o levantamento com a soma de todos os valores que a firma recebeu do erário público da capital, mas segundo a reportagem apurou a reportagem, os contratos ativos passa dos R$ 10 milhões.

O órgão que contratou a Maxtec foi alvo de uma operação da Polícia Federal, com o apoio da Controladoria Geral da União – CGU, no dia 09 deste mês. A ação teve a finalidade de desarticular associação criminosa voltada à fraude em licitações.

Empenhos em nome da Maxtec mostra o que a empresa tem pra receber em São Luís

Empenhos em nome da Maxtec mostra o que a empresa tem pra receber em São Luís

As investigações foram iniciadas para verificar possíveis desvios de recursos públicos federais que seriam usados no enfrentamento do novo coronavírus (COVID-19). Durante a investigação, foram verificados indícios de superfaturamento na compra de 320 mil máscaras pela Semus, no valor unitário de R$ 9,90. Considerando que o preço médio praticado no mercado nacional é de R$ 3,17, há indícios de um superfaturamento aproximado de R$ 2,3 milhões.

Como existe a possibilidade da realização de uma segunda fase da operação, é provável que os contratos suspeitos com a Maxtec entre no radar da Polícia Federal.

Polícia Civil desmonta esquema de pirâmide que movimentou mais de 400 milhões no Maranhão

Um dos maiores casos de pirâmide financeira do Brasil, investigados na capital maranhense, resulta em medidas cautelares contra médico suspeito de comandar esquema no Maranhão. Esta semana, a Polícia Civil cumpriu decisão judicial que determina o uso de tornozeleira eletrônica, impedimento de sair da cidade e apreensão do passaporte do suspeito. Segundo a investigação, a fraude movimentou mais de R$ 400 milhões.

“Estamos há um ano e meio desta investigação, que agora segue para outra fase. Diante das provas foram solicitadas as medidas cautelares na justiça, que deferiu e demos cumprimento”, pontua o titular da Delegacia Especializada de Defraudações, delegado Jânio Pacheco. A polícia identificou que além do Maranhão, o golpe foi aplicado em outros estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará.

O médico é apontado como responsável por captar altos valores financeiros de terceiros, com o argumento de realizar investimento em mercado de capitais. A polícia investiga o número de vítimas prejudicadas com a suposta fraude. “Há casos de pessoas que chegaram a perder milhões no esquema”, informa o delegado Jânio Pacheco. A apuração policial identificou ligação da pirâmide do médico com outra que era aplicada no Rio de Janeiro.

Outros envolvidos neste esquema e mais quatro casos de pirâmides estão sob investigação policial. O autor pode responder pelos crimes de estelionato, crime contra economia popular e evasão de divisas. A investigação foi conduzida pela Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), por meio da Delegacia Especializada de Defraudações e Delegacia do Vinhais, com apoio do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro (LAB-LD).

Por unanimidade, serviço de transporte coletivo ferroviário é aprovado pelos vereadores de São Luís

Projeto de autoria do vereador Astro de Ogum visa aproveitar o investimento já realizado na aquisição do VLT.

Na manhã desta terça-feira (16), no plenário Simão Estácio da Silveira, na Câmara Municipal de São Luís, os vereadores aprovaram, por unanimidade, o projeto de lei n.0096/2019, de autoria do vereador Astro de Ogum (PCdoB), que versa sobre o transporte coletivo urbano ferroviário e metroviário de passageiros na Grande São Luís. O projeto tem como objetivo fazer uso do Veículo Leves sobre Trilhos (VLT), adquirido da empresa Bom Sinal Indústria e Comércio Ltda, ainda em 2012, na gestão do ex-prefeito João Castelo, pelo valor de R$6,4 milhões.

Desde sua aquisição, o VLT que deveria atender mais de 200 mil pessoas, interligando o centro da capital maranhense ao bairro do Anjo da Guarda, na área Itaqui Bacanga, uma das mais populosas da Grande São Luís, nunca foi utilizado. O projeto inicial, orçado em R$ 8 milhões, previa a construção de 13km de linha férrea, mas apenas 800m acabou sendo construída.

Na proposta apresentada pelo vereador, caberá à Secretaria de Trânsito – SMTT delegar, planejar, fiscalizar e fixar as normas para funcionamento do chamado Sistema de Transporte Ferroviário Municipal – STFM. O art.3• aduz que esse transporte poderá ser feito através de delegação, direta ou indireta, a empresa pública ou privada sob regime de concessão, permissão ou autorização.

“Na realidade, apresentamos essa matéria com o objetivo de dar funcionalidade ao VLT, cuja aquisição já foi feita, por um valor milionário, porém permanece sem nenhuma utilidade. Outro ponto interessante, diferente do texto original, é que não estamos pedindo a construção de linha férrea, o que causaria onerosidade ao Poder Público, mas, estamos sugerindo que seja utilizado linha já existente, o que reduziria, de forma considerável, a efetiva operacionalidade do VLT”, enfatizou o parlamentar.

Ainda segundo o PL, o STFM iria atender à chamada Zona Rural da Grande São Luís, haja visto que já existe uma extensa via permanente em bitola métrica, a mesma necessária para o uso do veiculo, já implantada e atualmente operada pela empresa Transnordestina Logística para o transporte de combustível entre o vizinho Piauí e o Porto do Itaqui”. Segundo dados do IBGE, São Luís tem uma população estimada em 1.101.884 habitantes distribuídos em uma área de 831,7 km2. Desse total, 283km2 estão em perímetro urbano. Conforme censo de 2010, mais de 560 mil habitantes estão justamente na Zona Rural, por isso a nossa preocupação em instituir mais um meio de transporte para essa área, já que a reclamação quanto à qualidade do serviço prestado por via terrestre tem sido muito grande. E, na verdade, somente iríamos utilizar aquilo que já dispomos, entretanto, neste momento, encontra-se sendo destruído pela ação do tempo”, finalizou o vereador.

GRATUIDADE
Um dos pontos interessantes no PL, assim como nos demais meios de transporte, diz respeito à gratuidade. No art. 31, fica assegurado um percentual de gratuidade de acordo com o número de assentos. Após redação final, o PL seguirá para a sanção do prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

Vídeo com xingamentos e ofensas ao caos em Manaus é atribuído a enfermeiro que criticou enfrentamento à covid-19 em Bacabeira

Em gravação, profissional de saúde mostra cenário sanitário vivido pela capital do Amazonas e diz que é ‘nessa desgraça que eu trabalho’.

Enfermeiro maranhense vive o caos de uma das capitais brasileiras que testemunha a ‘hora da morte’ por covid-19

Enfermeiro maranhense vive o caos de uma das capitais brasileiras que testemunha a ‘hora da morte’ por covid-19

Um homem que supostamente trabalha na rede estadual de saúde de Manaus, se revoltou com o caos sanitário vivido pela capital do Amazonas provocado pelo novo coronavírus. A cidade que testemunha a ‘hora da morte’ por covid-19 sofre com a falta pessoal médico, onde alguns hospitais já começa a armazenar corpos em caminhões frigoríficos e os cemitérios começam a abrir valas comuns para atender a uma demanda crescente.

O vídeo que está sendo atribuído ao enfermeiro Leandro Silva Pimentel, que trabalha na Maternidade Chapot Prevost, na zona leste de Manaus (AM), vem sendo difundido por aplicativos instantâneos de mensagem. Ele é o mesmo que na semana passada usou as redes sociais para criticar o enfrentamento à doença em Bacabeira.

Profissional de saúde chegou a usar as redes sociais para criticar enfrentamento à covid-19 em Bacabeira, sua cidade Natal

Profissional de saúde chegou a usar as redes sociais para criticar enfrentamento à covid-19 em Bacabeira, sua cidade Natal

A gravação que repercutiu em grupos de WhatsApp poderia até passar despercebido se não fosse por um detalhe: enquanto faz a filmagem o cinegrafista tece uma série de xingamentos e ofensas ao hospital em que aparece nas imagens e desabafa: “É nessa desgraça que eu trabalho”, disse o personagem dessa polêmica no material obtido em primeira mão pelo site Maranhão de Verdade.

Conforme apurou a reportagem, Leandro Pimental é natural de Bacabeira, município localizado na Região Metropolitana de São Luís. Em 2016, durante a gestão do ex-prefeito Alan Linhares, ele chegou a assumir a direção da Unidade Básica de Saúde em Peri de Baixo, Bacabeira.

No mesmo ano, foi Coordenador Obstétrico do Hospital Municipal Santo Antônio de Presidente Juscelino, cidade localizada também na mesma região. Em seguida passou a ser professor da Faculdade Pitágoras, na capital maranhense. Atualmente é Docente da Faculdade Estácio do Amazonas e Gerente de Serviços de Enfermagem do Hospital e Maternidade Chapot Prévost, em Manaus/AM.

No material que vazou na internet, o cinegrafista que seria o próprio Leandro, demostra preocupação com a situação em que vive a capital amazonense e completa seus xingamentos e ofensas dizendo que não desejaria que São Luís vivesse essa situação.

Leandro está concluindo seu curso de Doutorado pelo Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, em Portugal. Ele possui Mestrado em Infectologia e Doenças Tropicais pela UFTM-MG e tem Pós-Graduação em Obstetrícia e Neonatologia pelo CEUMA-MA. Além disso, tem Pós-Graduação em Gestão e Saúde Pública pela FAE – Faculdade das Águas Emendadas-DF.