Rogério Albino usa mãe como ‘laranja’ em negócios

Suposta fraude praticada pelo empresário teria o objetivo de esconder patrimônio de credor ou da Justiça.

Constantina, mãe de Rogério Albino, estaria sendo usada como laranja para esconder patrimônio do filho

Constantina, mãe de Rogério Albino, estaria sendo usada como laranja para esconder patrimônio do filho

O empresário Rogério Albino de Sousa, ex-dono da empresa Maxtec Serviços Gerais e Manutenção Industrial Ltda, não usava só “fantasmas” em suas transações imobiliárias, conforme dossiê denominado ‘teia da corrupção’, encaminhado ao blog do Antônio Martins por fonte anônima.

No acervo que narra os modus operandi do esquema de corrupção, o empresário nomeou própria mãe como sócia. Constantina Albina de Sousa, uma costureira , aparece como dona de pelo menos três empresas. Além disso, a senhora humilde tem em seu nome quase 15 empreendimentos imobiliários.

Levantamento realizado junto à Junta Comercial do Estado do Maranhão – Jucema apontou que o capital social das empresas em nome da mãe de Rogério Albino é de R$ 1 milhão e 730 mil reais. A primeira sociedade registrada em nome de Constantina Albina foi firmada no dia 13 de julho de 2010.

Mãe de Rogério Albino é dona de um capital social de R$ 1,7 milhão

Além da mãe, o empresário teria nomeado outros parentes nos supostos negócios ilicitos. Observamos alguns detalhes curiosos durante nossa pesquisa. Um deles, por exemplo, o fato de os fantasmas e laranjas serem usados com o mesmo objetivo: irrigar empresas e negócios com dinheiro proveniente de ilicitudes.

Por conta disso, é possível afirmar que Rogério Albino, um dos empresários envolvidos em esquemas de corrupção no Maranhão, estaria recorrendo a fraudes para esconder o patrimônio fruto de crimes, e evitar que os bens sejam retomados pela Justiça. Também há suspeitas de que ele teria recorrido às fraudes para esconder seus bens e fugir do Fisco ou de dívidas milionárias, para evitar a perda de bens quando são cobrados na Justiça.

Mãe de Rogério Albino usada como laranja pelo próprio filho é costureira e tem um canal no YouTube

Mãe de Rogério Albino usada como laranja pelo próprio filho é costureira e tem um canal no YouTube

LOUCURA! Prefeito se empolga, joga e rasga dinheiro ao povo em Viana

Na noite desta quarta-feira (8), durante o aniversário de 263 anos da cidade de Viana, o prefeito Magrado Aroucha Barros atirou dinheiro e rasgou para o povo disputar quem pegava mais sédulas em praça pública.

Prefeito de Viana distribuindo prêmios pra população lembrando o “Topa tudo por dinheiro” do Silvio Santos em plena pandemia.

São gestores assim que os maranhenses precisam parar de eleger. Enquanto isso, o município vive um estado de completo abandono, com ruas esburacadas, sem água potável e famílias passando por situação de fome.

Confira o vídeo abaixo:

ATENÇÃO PF: candidato a prefeito de Axixá recebe auxílio emergencial ilegalmente

O pré-candidato a prefeito de Axixá pelo Partido Progressista (PP), Jhonatan Silva, o Jhoca, terá que se explicar muito em breve à Polícia Federal, Ministério Público Federal e aos órgãos de controle o que fez com o dinheiro do auxílio emergencial que vem recebendo, ilegalmente, da União, desde o início da pandemia do novo Coronavírus.

Para quem não sabe, Jhoca é filho do vereador Luizão (PSB), casado com a professora Kerlia Cantanhede Gomes (lotada na cidade de Cachoeira Grande), empresário, possui um patrimônio alto e é conhecido na cidade e na região do Munim por promover festas com a carreta de som Falcão Negro, de sua propriedade, denunciada por vários moradores pela alta venda e consumo de drogas, álcool e muita arruaça.

Jhonatan Silva, o Jhoca

Jhonatan Silva, o Jhoca

Não bastasse a extensa ficha de práticas ilícitas e criminosas, entre elas de ser um dos milhares de beneficiários ilegais do Auxílio Emergencial, que deveria ser para pessoas de baixa renda, Jhonatan também acumula o Bolsa Família – recurso dado a famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza – e o Seguro Defeso – dado a pescadores que trabalham de forma artesanal no sustento dos seus dependentes.

Segundo dados do Portal da Transparência, por ter declarado ser pescador e pobre, Jhonatan já embolsou nada menos que R$ 17. 252,00, conforme relatório da Controladoria Geral da União (CGU), o que evidencia uma séria de crimes que vem sendo praticados há pelo menos 7 anos pelo empresário.

É no mínimo imoral o que aparece na página da CGU, de que desde 2013, Jhonatan vem acumulando auxílios dos programas do Governo Federal sem nunca ter sido pescador, com os bens que ostenta, entre eles, uma casa na localidade Santa Rosa com vários andares, salão de beleza, e o volume de dinheiro que movimenta com suas atividades. Pasmem: cada apresentação da carreta Falcão Negro custa R$ 10 mil.

O que se esperar de um homem que quer ser prefeito de Axixá, pregando a falsa promessa de mudança na política, de maneira vergonhosa e descarada, embolsa R$ 600,00 todo mês, enquanto famílias inteiras que perderam seus sustentos pela Covid-19, de Axixá e do Maranhão, na fila para terem seus cadastros aprovados e passem a receber o dinheiro do auxílio.

Esposa de Araken deve ser a vice na chapa do Padre William em Alcântara

Quem entrou na fila para ser vice de Padre William já pode começar a pensar em outro projeto, se quiser continuar mantendo a esperança no grupo do ex-prefeito de Guimarães-MA. De acordo com uma fonte fidedigna, as articulações já foram traçadas pelo deputado estadual, Hélio Soares, e 95% já está fechado.

A disputa das eleições em Alcântara está acontecendo a todo vapor mesmo na pré-campanha. São articulações às escondidas, principalmente por causa da concorrência para o cargo de vice na chapa do Padre William.

Para surpresa dos aliados do pré-candidato a prefeito, Padre William (PL), a ex-primeira dama Wilcicleia Lima, também conhecida em Alcântara como Léia (PTC), esposa do ex-prefeito Domingos Araken, que comandou o município de Alcântara entre 2013-2016; deverá ser a companheira de chapa como vice do Padre. As conversas estão bem adiantadas, segundo a fonte.

A aliança entre Padre William e Domingos Araken conta com o aval e a articulação do deputado estadual Hélio Soares. Hélio e Araken são amigos e parceiros políticos de longas datas. Ainda assustado com a derrota acachapante de 2016, Araken deve emplacar a esposa Léia como vice do Padre.

A aliança entre Padre William e Araken foi selada durante reunião no escritório do deputado federal Josimar de Maranhãozinho, padrinho político e maior financiador da candidatura do Padre William a prefeito de Alcântara.

Além do deputado Hélio Soares, Domingos Araken e a possível vice do Padre, Wilcicleia Lima, quem também participou da reunião foi o vereador Nilson Pereira (PL), presidente Municipal do Partido Liberal em Alcântara, que foi líder do governo e vereador de confiança do ex-prefeito Araken.

A FILA DOS QUE SONHAM SER VICE DO PADRE WILLIAM

Pelos menos 10 nomes estão dormindo e acordando na fila para ser vice na chapa do Padre William em Alcântara. Segundo informações que circulam nos bastidores, até o atual vice-prefeito Sargento Leitão, estaria na briga pra ser vice novamente, mas desta vez na chapa do Padre. Entre os nomes que lutam com unhas e dentes para ser vice do Padre William estão o vereador Guterres Filho, que inclusive já até declarou em sua rede social a vontade de ser vice. O ex-candidato do PSOL derrotado em 2016, Nivaldo Araújo, a ex-vereadora Marleni, o ex-candidato derrotado em 2016, Deco Alcântara, o vereador Antônio Rosa, o vereador Nilson Pereira (que inclusive participou da reunião que selou a aliança entre o Padre e Araken) e o pastor Edilson (que se afastou por não gostar da aliança entre o Padre e Josimar de Maranhãozinho). A briga pela vaga de vice é tão grande, mas a única que está com chance é a esposa de Araken.

Vamos esperar os próximos capítulos dessa ladainha!

Compra de ambulâncias para combate à Covid-19 expõe relação com investigados da ‘Operação Emplacamento’

A pandemia do novo coronavírus fez com que parlamentares da bancada maranhense no Congresso repassassem milhões em emendas para as áreas de saúde e assistência social no estado. Os valores, que corresponde à maior parte desses recursos para ajudar no combate à doença Covid-19, foi direcionado para a compra de ambulâncias e equipamentos hospitalares.

A principal fornecedora dos veículos é a empresa Innovar Empreendimento, que entre abril e junho, já faturou a bagatela de R$ 1.158.400,00 em contratos com prefeituras no interior. Criada no dia 04 de março, no auge da pandemia do coronavírus, a companhia ganhou sua primeira proposta contratual, com apenas 42 dias de sua abertura.

O termo, com numeração 57 / 2020, foi firmado em abril deste ano, tendo como contratante é a Prefeitura de Cururupu. O contrato no valor de R$ 164.900,00 (cento e sessenta e quatro mil e novecentos reais), foi para adquirir uma caminhonete Toyota Hilux 2.8 Tdi Cd Std 4×4 2020, zero quilômetro; cor: branco, para atender as necessidades da Secretaria Municipal de Saúde.

Na segunda compra, realizada no dia 1º de maio junto à prefeitura de Vitória do Mearim, a Innovar vendeu duas ambulâncias, desta vez, sob a finalidade que seria usada na campanha para o enfrentamento do novo coronavírus. Pelo contrato, a firma abocanhou R$ 449.000,00 (quatrocentos e quarenta e nove mil reais), mediante a dispensa de licitação nº 014/2020.

Dos mais de cinco contratos que fechou no período, o que mais chamou atenção foi em Icatu. No município administrado pelo prefeito Dunga (PMN), a empresa vendeu, também por meio de dispensa de licitação, um veículo tipo furgão, ambulância de simples remoção, pelo valor de R$ 215.000,00 (duzentos e quinze mil reais), conforme denúncias de reportagem do site Maranhão de Verdade.

Naquele mês, o caso ganhou repercussão porque o recurso usado era fruto de uma emenda do deputado federal Eduardo Braide, pré-candidato do Podemos à Prefeitura de São Luís. Segundo vídeo gravado pelo deputado estadual Dr. Yglesio, a prefeitura de Icatu comprou um carro superfaturado em 40%.

Em suas redes sociais, o parlamentar afirmou que a ambulância é encontrada no mercado num valor de R$ 154.900. E, por conta da suspeita de fraude, prometeu fazer uma denúncia formal ao Ministério Público Federal e a Polícia Federal.

O problema, entretanto, é que o caso pode ser muito mais grave, pois expõe o cordão umbilical com investigados da Operação Emplacamento, desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) e Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor) em novembro de 2019.

Conforme já revelamos em matérias anteriores, quem assina os documentos de venda de veículos por parte da Innovar é um procurador identificado como Maurício dos Santos Costa. A empresa está registrada em nome de Lourizan Lima de Araújo, morador da Vila Fortaleza em Buriticupu. No entanto, a firma está registrada na Rua Grande nº 368, Povoado Roca, município de Santa Luzia.

As ligações com a máfia do emplacamento, surge a partir da assinatura que consta no Atestado de Capacidade Técnica fornecido pela MC Obras e Empreendimentos, de propriedade do empresário Francisco Vieira da Silva, o Ló – conhecido como o “Rei das Laranjas”.

O empresário que ‘atestou’ os serviços da Innovar é proprietário das empresas F. Vieira da Silva Comércio – ME, uma das investigadas na operação emplacamento.

ENTENDA O CASO
O Ministério Público do Maranhão (MPMA) e a Polícia Civil realizaram em novembro de 2019, no município de Santa Inês, a Operação Emplacamento. A 1a Vara Criminal do Termo Judiciário de São Luís determinou o cumprimento de mandados de busca e apreensão em quatro empresas e cinco residências no município.

As investigações apontaram que, em 2017, no emplacamento de veículos adquiridos pelas prefeituras, o despachante e sócio da empresa Santa Inês Emplacamentos, Élton Luís da Silva Lima, apresentava duas notas fiscais à Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) em Santa Inês. Uma primeira nota consignava a venda do veículo para a empresa R L de Farias – RL Empreendimentos, cujo sócio responsável é Roberto Lima de Farias. A segunda nota registrava a revenda desta empresa para as prefeituras.

Apesar da existência de duas operações de compra e venda, Élton Luís da Silva Lima solicitava o registro e o primeiro emplacamento em nome das Prefeituras, o que era autorizado pelo Ciretran de Santa Inês. A operação era registrada no sistema informatizado como se a venda tivesse ocorrido diretamente do fabricante para as Prefeituras.

Em 2018, essa prática foi proibida pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Élton Luís da Silva Lima passou, então, a utilizar notas fiscais falsas para continuar obtendo o registro e o emplacamento diretamente em nome das Prefeituras, como se as vendas tivessem sido feitas pelos fabricantes.

Após a realização de diligências junto aos fabricantes, constatou-se que as vendas eram feitas, de fato, para as empresas F V dos Santos (Totalmax), R L Empreendimentos ou para pessoas físicas ligadas a elas. Os veículos eram posteriormente entregues às Prefeituras, com valores superiores aos que efetivamente haviam sido adquiridos.

De acordo com as informações prestadas pela Secretaria de Estado da Fazenda, as operações sugerem forte indício de supressão de crédito, pois a empresa R L Empreendimentos atua como locadora de veículos, gozando de benefícios fiscais, assim como Danielle Brito de Oliveira, Gustavo Henrique da Silva Gomes e Antônio Carlos dos Santos Martins Júnior, que tinham vantagens em razão do Convênio ICMS 51/00.

A empresa F Vieira da Silva também foi investigada e tinha o mesmo modus operandi. Klecyo Henrique de Matos Barrosera contador nesta empresa e na R L Empreendimentos.

Marlon Reis declara apoio a Madeira em São Luís

O advogado e ex-juiz de direto do Maranhão, Márlon Reis, declarou apoio a José Carlos Madeira, pré-candidato pelo Solidariedade à Prefeitura de São Luís nas eleições de 2020. Conhecido nacionalmente como um dos idealizadores do projeto que resultou na Lei da Ficha Limpa, quando ganhou grande notoriedade pelo combate à corrupção eleitoral no Brasil, Márlon também será o responsável pela coordenação jurídica da campanha de Madeira.

“Vou assumir a responsabilidade pela parte jurídica da campanha com todo o meu histórico de luta pelo aprimoramento das leis eleitorais e garantir que todas as normas sejam observadas muito bem durante essa campanha”, assegurou Márlon Reis, que também já foi candidato a governador do Tocantins.

Colega há mais de três décadas de Madeira, Márlon Reis ressalta que São Luís tem agora uma excelente oportunidade de contar com um homem com excelente biografia, além de ser uma grande liderança para assumir a gestão da cidade. “Madeira é a pessoa certa para um momento como este de insegurança, em que as pessoas precisam de alguém que tenha uma trajetória que demonstre o que é capaz de fazer. E ele é um líder nato e experiente para dar resultados”, afirma.

O presidente do Solidariedade no Maranhão, Simplício Araújo, disse que a coordenação jurídica a cargo de Márlon Reis enriquece a credibilidade da campanha de Madeira. “Márlon é uma pessoa que tem um conhecimento muito amplo a respeito da área eleitoral não só no Maranhão como no Brasil. Com certeza, é um forte nome na campanha”, reforça.

Madeira diz que ter Márlon Reis junto de sua caminhada eleitoral é motivo de muito orgulho e entusiasmo. “Márlon prestou uma grande contribuição ao nosso país com a Lei da Ficha Limpa que hoje faz história no Brasil. Ter este homem com essa envergadura moral, com essa capacidade e com essa referência no país ao nosso lado nos apoiando, sem dúvida é uma grande alegria”, destaca.

Didi do PP visita bairro do Lira em São Luís

Na manhã desta quinta-feira ,09, no Bairro do Lira em São Luís, o pré-candidato a vereador, o administrador de empresas José Luna, conhecido como Didi do PP ao lado do pré-candidato a prefeito, Rubens Júnior se reuniram para um café da manhã ambos foram recepcionados por centenas de moradores. Didi e Rubens encontraram amigos e lideranças comunitárias que o receberam e apontaram melhorias e os problemas em pontos estratégicos para o desenvolvimento da região.

No bairro do Lira e Adjacências, Didi do PP tem como representante principal da sua campanha, o Beto do Comércio que já foi candidato a vereador na última eleição e teve próximo de 2 mil votos, o que credencia o Didi do PP e o Rubens Júnior dentro da comunidade.

Didi do PP, como já é de conhecimento de todos, que ele teve sua trajetória de vida construída na casa dos estudantes, já teve um papel preponderante nas revitalizações de praças no centro, o mesmo em sua fala confirma, que têm projetos para oferecer geração de renda e emprego para a comunidade através da oferta de cursos profissionalizantes.

É importante ressaltar que Didi do PP é um pré-candidato forte e sua simplicidade é uma marca registrada, a qual as pessoas abraçam seu carisma o que faz ele avançar cada vez mais na sua caminhada rumo a Câmara Municipal.

Hildo Rocha leva asfalto para o município de Fortuna

Pela primeira vez na história de Fortuna um povoado do município recebe pavimentação asfáltica. Essa conquista histórica aconteceu graças ao deputado federal Hildo Rocha que destinou emenda parlamentar individual por meio da qual assegurou o asfaltamento da principal rua do povoado São José.

Hildo Rocha lembrou que a chegada do benefício decorre de um pedido do presidente da Câmara Municipal do município, vereador Roberto Luís. O parlamentar ressaltou que a obra era esperada há bastante tempo e chegou graças a emenda que foi destinada para a Codevasf fazer a pavimentação.

“Atendi o pedido desta comunidade, por meio do vereador Roberto, presidente da Câmara Municipal que me falou do sonho e da grande necessidade de pavimentação da principal artéria da comunidade. Destinei emenda parlamentar no valor de 500 mil reais para a Codevasf fazer essa pavimentação asfáltica na comunidade São José, aqui em Fortuna. O pedido encabeçado por Roberto teve apoio de Sebastião Costa, do prefeito Arlindo Filho e do presidente da Associação dos Moradores do Povoado São José, irmão Chagas. Esse asfalto vai dar melhor qualidade de vida para os moradores, vai acabar com a poeira e a lama e proporcionar conforto e dar mais beleza ao povoado”, destacou Hildo Rocha.

Compromisso honrado

O prefeito Arlindo Barbosa enfatizou que o asfaltamento do povoado São José era um antigo desejo da população e que outros políticos já haviam prometido, mas nenhum outro havia cumprido. Para ilustrar a importância da obra, Arlindo destacou que aproximadamente 50% da população de Fortuna vive na zona rural em localidades que necessitam de melhorias na infraestrutura.

“Desde o primeiro mandato que tinha vontade de fazer essa obra. Era, portanto, um compromisso que outros políticos assumiram, mas quem fez foi o deputado Hildo Rocha. Este é o primeiro povoado de Fortuna a receber um benefício tão importante. Nós somos muito gratos pelo esforço do deputado Hildo Rocha, por essa obra, e iremos continuar trabalhando para que benefícios desse tipo cheguem a outras comunidades”, afiançou Arlindo.

O vereador Roberto também elogiou a ação do deputado Hildo Rocha destacou a importância do benefício. “Essa comunidade hoje é feliz por essa ação, por essa obra de tamanha valia. Obrigado, deputado. Você acabou com a poeira e com a lama que causava tantos problemas para esta comunidade”, declarou o vereador.

Sebastião Costa, que também trabalhou em prol do benefício disse que a obra vai além de um simples asfaltamento. “Não é só uma obra, isto é saúde pública, porque estamos tirando as pessoas da lama e da poeira, estamos proporcionando mais qualidade de vida. Esse é um passo importante para o progresso do nosso município. Com o apoio do deputado Hildo Rocha conseguiremos outros benefícios para a população de Fortuna”, afiançou Sebastião.

“Deputado, eu só quero agradecer pelo seu empenho e interesse do vereador Roberto e de todos que lutaram por essa obra. Em nome da população, como morador desta comunidade, quero agradecer por essa obra que era o maior sonho do nosso povoado que há muitos anos a gente esperava”, comentou o presidente da Associação, irmão Chagas.

Evento prestigiado

O evento foi prestigiado por dezenas de políticos e lideranças da região. Além do deputado Hildo Rocha e do prefeito Arlindo Costa também participaram do ato os vereadores Edivan Catitu; Josélia Carvalho; Luizinho do Elizário; Manin do Aníbal; Nenzão do Biba; Roberto Luis (presidente da Câmara); Sebastião Costa; Thaires do Paulo Júnior e Zezin Barba.

Também marcaram presença: o Prefeito de Governador Luis Rocha, Riba Teles; o vice-prefeito Zezão (José Orlanildo Soares de Oliveira) e os vereadores Geraldina (presidente da Câmara); Márcio do Fico e professor James; prefeito Cid Costa de Buriti Bravo; vice-prefeito de São Domingos Clodormizinho (Clodomir Gomes da Silva Junior); vereadora Irislane Avelar; e os ex-prefeitos de Fortuna, Onofre Alves Barbosa e Francisca Alves dos Reis.

William Filho lança pré-candidatura a vereador em São Luís

Na tarde da última terça-feira, 07, em clima festivo e com as presenças do presidente da sigla e deputado federal André Fufuca e do pré-candidato a prefeito Rubens Junior de São Luís, o empresário William João Menezes Filho, mais conhecido como William Filho, lançou sua pré-candidatura para o cargo de vereador nas eleições deste ano pelo PP (Partido Progressista).

O pré-candidato a vereador William Filho – iniciou a elaboração de seu plano de trabalho com suas propostas e está aberto a sugestões de todos os interessados em colaborar com o programa. “Sou pré candidato a vereador. Não para mudar a história, mas para mudar o rumo do destino dessa cidade”, disse.

“Queremos representa nossa capital de maneira a buscar soluções para os inúmeros problemas que afetam os moradores desses bairros. Estamos elaborando um plano de trabalho e quero ter se eleito for um mandato participativo onde todos poderão opinar e estarei levando as reivindicações aos setores competentes a fim de soluciona-las”, explicou ele ao Maranhão de Verdade.

William tem seu trabalho reconhecido pelo povo e desponta como um dos favoritos a uma vaga na Câmera Municipal de São Luís.

Prefeito de Presidente Dutra vira réu na Justiça Federal por fraude em licitação

O juiz federal, Clodomir Sebastião Reis, tornou réus o prefeito de Presidente Dutra, Juran Carvalho de Souza, e o procurador geral do Município, Af Ali Abdon Moreira Costa, por fraude em licitação.

Também viraram réus John Sbergues Rodrigues de Sousa Carvalho, Sônia Freire Santos, Sandra Araújo Costa, Francisco Denilson de Sousa Teodoro, Daticleia Gatinho Lopes, Maria José Castro Silva, Max Dwinw Araújo Guimarães e Vanderlucia Sousa Silva de Araújo.

O pedido foi do Ministério Público Federal propôs uma Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra os acusados.

Segundo a decisão, o prefeito e os demais réus estão envolvidos em fraude de licitação que tinha como objeto a pavimentação asfáltica e drenagem profunda realizada em março de 2013.

O juiz afirmou que há indícios de que o crime de improbidade foi cometido em Presidente Dutra

“Ocorre que o fato de ter sido atribuída a função de ordenador de despesas a outrem não retira a responsabilidade do Prefeito Municipal, que nesta qualidade tem o dever e a responsabilidade de acompanhar, controlar e corrigir as atividades atribuídas aos seus subordinados hierárquicos, mesmo em se tratando de casos de descentralização de atividades administrativas, através de legislação municipal.”

Em outro trecho do documento, o magistrado frisa que por ausência de comprovação do fato nos autos, e depois, em razão de que o fato de ter sido anulada a citação não afasta de per si a necessidade de análise da existência de ato de improbidade , porto que os autos perpetrados até então podem ter tido repercussão danosa na esfera da Administração Pública, o que dever ser analisado no correr do presente feito.

“O juízo de admissibilidade da petição inicial de ação de improbidade administrativa (Lei n.8.429/92, art.17, §6º e §8º) não se destina à formação de convicção definitiva e exauriente sobre a causa, de forma que, para instauração da ação, é preciso, em princípio, apenas que haja um fato descrito como tendo existido e que esteja previsto na lei, como dentre aqueles que configuram uma improbidade. Assim, diante da existência de elementos mínimos apontando a prática de suposto ato ímprobo, impõe-se o recebimento da inicial.”