Zé Pequeno: a esperança de Davinópolis

Zé e Dino

Zé e Dino

Em meio às multiformes movimentações políticas, sempre surgem nomes que, de alguma forma, conseguem estar em evidência de maneira até inexplicável. Alguns chamam de fenômeno, outros dizem que é o elemento surpresa indicado ou apoiado por alguém e tantos outros qualificam como sorte, mas no município de Davinópolis, localizado a 6 km de Imperatriz, uma liderança política tem se tornado destaque, colocando à prova todas as teorias e até deixando à espreita políticos tradicionais.

José Gonçalves Lima, o Zé Pequeno, como é carinhosamente conhecido, vem demonstrando humildade, solidez popular, carisma natural e força com o povo, em especial com os davinopolenses. Vendedor ambulante, de família humilde e primogênito dentre 28 irmãos, Zé Pequeno foi para Imperatriz aos nove anos de idade na busca por melhores condições de vida. Anos depois, recebeu o desafio de administrar a emissora de TV fundada por seu pai, Chico do Rádio, que iniciou a carreira fazendo locuções comerciais e em 2004 assumiu a prefeitura de Davinópolis, da qual Zé foi secretário de administração e até hoje tem seus trabalhos reconhecidos, entre eles a construção de escolas, ruas e hospital, diminuição da violência entre outros.

Fora dos padrões da figura política mais comum, Zé Pequeno tem conseguido atrair a atenção, principalmente daqueles que enxergam nele a renovação e a esperança de dias melhores para Davinópolis, que hoje sofre com descasos da atual gestão. Para o administrador, que sonha em ser o representante legítimo de Davinópolis, o amor que sente por sua cidade e conhecendo as necessidades que ainda enfrenta a população davinopolense, Zé Pequeno acredita que o município pode, sim, voltar a sonhar com dias melhores e um novo tempo de desenvolvimento.

“Lamentavelmente podemos ver que perto da real situação em que se encontra a nossa cidade, estamos indo de mal a pior. É necessário haver mais transparência, ação e olhar voltado para o próximo, pois o povo de Davinópolis tem pressa e anseia por uma nova realidade política e social”, ressaltou.

Sousa Neto repudia declarações do secretário de Segurança

Deputado Sousa Neto

Deputado Sousa Neto

O deputado Sousa Neto (PTN) repudiou nesta quinta-feira (28) as declarações feitas pelo secretário estadual de Segurança, Jeferson Portela, por meio das quais ele afirmou que a reação do policial militar Max Muller, assassinado por assaltantes, foi a causadora da chacina ocorrida em Panaquatira. O parlamentar também criticou a decisão do secretário de desarmar os policiais que estiverem de folga.

Em tom de indignação, Sousa Neto leu a nota publicada em uma rede social pelo irmão do policial assassinado e repudiou a forma como o secretário tem tratado a questão da segurança.

“A condução do sistema de segurança pelo governo do Estado e a forma como o secretário tem se manifestado quando são colocadas em dúvida a sua competência e a sua capacidade só demonstram que ele não tem o equilíbrio necessário para gerir a segurança pública no Estado e não pode estar no lugar em que está”, disse o deputado.

O deputado afirmou que utilizando as redes sociais, o secretário Jefferson Portela teria rebatido as criticas recebidas com expressões pejorativas ao fazer referência aos deputados estaduais Sousa Neto, Edilazio Junior e Cesar Pires.

Ainda durante o discurso, Sousa Neto questionou a decisão da Secretaria de segurança do Estado de desarmar os policiais quando não estiverem em serviço. O deputado explicou que a ideia é acabar com o que se chama de acautelamento, que permite aos policiais portar armas do Estado mesmo quando estão de folga. Assim, eles seriam obrigados a deixar as armas no quartel ao fim do turno.

O parlamentar finalizou que continuará cobrando melhores condições de trabalho para os policiais. “A Polícia Militar tem uma lei, a nº 9.663 de 2012, que trata sobre a criação da gratificação de complementação de jornada operacional para as operações especiais das Polícias Civil e Militar do Estado. Essa lei tem que ser respeitada e como parlamentar desta Casa cobrarei todos os dias. O secretário de segurança tem que aprender a lidar com as criticas”, concluiu.

Cabo Campos defende intervenção da Força Nacional para conter violência

Deputado Cabo Campos

Deputado Cabo Campos

Em discurso na manhã de hoje (27), o deputado Cabo Campos (PP), ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa onde defendeu a intervenção da Força Nacional para conter a onda de violência que assola a capital maranhense.

Cabo Campos reafirmou a necessidade de um número maior de policiamento nas ruas da capital. “Reafirmo que precisamos de mais homens nas ruas. Polícia se faz com número, o efetivo é fator principal. Por isso, nós somos sim a favor de que venha para cá a Força Nacional. Quando o estado do Rio precisa, se coloca até Exército para pacificar as ruas. E nós não estamos atrás da situação do Rio de Janeiro e de outros centros. Nós estamos até pior. Dados apontam que nós somos a 15º capital, o lugar mais perigoso do mundo. Logo, nós somos a favor sim de que essas forças venham para cá”, defendeu.

Entendo a importância dos excedentes, como um aporte fundamental para a melhoria e consequentemente aumento do número de policiais no Estado, o parlamentar também fez referência ao assunto. “É importante também discutir aqui a problemática que nós temos com relação aos excedentes que foram convocados, a questão dos números. Nós temos realmente que formar nossos policiais para depois colocar na rua. Não é uma convocação que vai colocar esses homens na rua. O que vai colocar é a formação”, afirmou Campos.

Discussão a questão do indulto ou saída temporária – Em seu discurso, o deputado fez referência sobre as primeiras rodadas de discussão sobre o indulto ou saída temporária que faz parte da Lei de Execuções Penais. “Eu quero reafirmar que, no dia 17, culminando com a Comissão de Segurança, nós vamos discutir a questão do indulto ou saída temporária que faz parte da Lei de Execuções Penais. E aqui faço um apelo a este Parlamento para que não deixe que essa ação que a Comissão de Segurança vai fazer, nós vamos acolher as assinaturas posteriormente da Comissão de Segurança, companheiro Sousa Neto, companheiro Levi Pontes, o Júnior Verde não está aqui, mas eu quero que essa situação seja de todos”, ressaltou Cabo Campos.

Por fim, o parlamentar parabenizou o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão na pessoa do comandante geral, coronel Célio Roberto, pela aquisição das duas viaturas concedidas pela Suzano, e pela questão também da viatura que trata de pacientes psiquiátricos. “Antes não se sabia de uma questão psiquiátrica quem ia socorrer e ficava um jogo de empurra. É da SAMU? É da Polícia Militar? É do Bombeiro? Agora não, estão criando condições necessárias para esse tipo”, disse Campos.

Respeito ao cidadão e valorização a família marcam posse do prefeito Juscelino Oliveira…

Prefeito Juscelino Oliveira (PP) ladeado da 1ª Dama do Município Josélia Torres

Prefeito Juscelino Oliveira (PP) ladeado da 1ª Dama do Município Josélia Torres

Após determinação do Tribunal de Justiça do Maranhão, a Câmara Municipal de vereadores deu posse ao novo prefeito de Açailândia Juscelino Oliveira (PP). A solenidade aconteceu na noite desta quarta-feira (27), em clima de festa.

Várias lideranças políticas, civis e eclesiásticas do município e região participaram da sessão histórica, que a pedido do presidente da Câmara Anselmo Leandro Rocha, foi presidida pelo vice, Ver. Marcio Aníbal (SD).

A sede do pode legislativo ficou pequena para tantas pessoas que tiveram suas esperanças renovadas a partir dessa tão aguardada mudança de governo. Em seu primeiro discurso como prefeito, Juscelino fez agradecimentos e destacou a importância da família fazendo uma homenagem ao Filho, o advogado Saulo Pires, que faleceu no último dia 23 de Janeiro do ano em curso, vítima de uma “pneumonia aguda”.

O prefeito disse ainda que não vai medir esforços no sentido de diminuir as desigualdades sociais e fazer com que seus munícipes possam ter dias melhores, uma vez que estes vinha sendo literalmente “massacrados” pela ex-gestão. Logo na manhã desta quinta-feira (28), o novo prefeito irá visitar todos os setores da administração para fazer um Raio-X da atual situação do município. Com informações Antonio Marcos.

Quando o oportunismo vai além dos limites do aceitável…

Herbertt Morais.

Herbertt Morais.

O vereador Roberto Rocha Júnior (PSB), após ser manchete nacional por suspeita de envolvimento com o crime de agiotagem, distribui release pago para imprensa local no qual ele se apresenta como o autor da solicitação de recuperação asfáltica para o Bairro Vicente Fialho. Uma espécie tardia de tentar passa para população uma atuação parlamentar da qual ele está longe de na prática realizar.

Diz Roberto Júnior em um trecho do release pago: “Além das solicitações feitas na Câmara Municipal, nas reuniões que tive com o secretário da Semosp Antonio Araújo, relatei as dificuldades enfrentadas pelos moradores da Rua do Aririzal, e do bairro Vicente Fialho, devido aos problemas de falta de infraestrutura das ruas. Ele prontamente atendeu o nosso pedido e hoje a comunidade já está sendo beneficiada com o asfalto que começou nessa região, mas que se estenderá para os outros bairros de nossa cidade”. Esta afirmação do vereador Roberto Rocha Júnior, não passa de puro sofisma. Veja: Faz parte de o exercício parlamentar solicitar melhorias em nome de determinadas comunidades, sem que, no entanto, elas tenham a garantia de serem viabilizadas pelo executivo, que de fato, de acordo com suas possibilidades financeiras, realiza essas obras nas comunidades.

Alias, nem é uma prerrogativa exclusiva dos parlamentares, como tenta sugerir o vereador em sua fala acima, todo e qualquer cidadão no livre exercício de sua cidadania pode reivindicar junto ao poder executivo melhorias para suas respectivas comunidades.

Agora, tanto eu como você leitor, sabemos que o simples reivindicar não determina a execução de obras nas comunidades, entra ai vários fatores, dentre eles, o efetivo engajamento do parlamentar solicitante ou da liderança local, no projeto de construção da administração municipal, estadual ou federal.

Especificamente na Vicente Fialho, posso garantir que a liderança comprometida com o projeto de governo do atual prefeito Edivaldo Holanda Junior (PTC), sou eu: Herbertt Morais. Até porque, como toda a população de São Luís já sabe, o vereador Roberto Rocha Junior, há muito traiu a confiança do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, se debandando para outro projeto político que ainda está em construção.

Ora, qual o administrador que iria investir num parlamentar ou numa liderança que nos primeiros sinais de dificuldades da sua gestão, pulam fora do “barco” tal como os ratos de convés?! Reafirmo: as obras de recuperação asfáltica do bairro Vicente Fialho, é um compromisso de campanha do atual prefeito com a comunidade, através da solicitação do líder comunitário da Fialho: Herbertt Morais. O resto não passa de tentativa do vereador Roberto Rocha Júnior fazer show pirotécnico com a pólvora dos outros.

Cabe, portanto, caso eu esteja mentindo, vir a público o prefeito Edivaldo Holanda Junior ou o secretário da SEMOSP, Antônio Araújo, fazer o devido desmentido, caso não o façam, é porque de fato, o vereador Roberto Rocha Júnior não passa de um simples oportunista.

Wellington lamenta fim do Programa ‘Viva Luz’ no Maranhão

Wellington do Curso

Wellington do Curso

Na manhã da ultima quarta-feira (27), o deputado Wellington do Curso (PPS), vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e das Minorias da Assembleia, lamentou o encerramento do Programa Viva Luz, que, segundo ele, beneficiava mais de 30 mil famílias maranhenses.

Wellington também pediu que os deputados se debruçassem sobre o tema, não em posição contrária ao governo, mas em defesa da população maranhense. “Sou da base do Governo e trago à tribuna desta Casa, não para polemizar, mas em defesa da população maranhense, o encerramento do Programa ‘Viva Luz”, declarou.

Ele disse que tem se debruçado sobre o tema e, em algumas análises, surgiu a necessidade de questionar ao Governo do Estado sobre o fato de que os recursos de R$ 25 milhões, antes destinados ao Programa, serão remanejados do Fundo Maranhense de Combate à Pobreza (Fumacop) para a manutenção do programa ‘Mais Bolsa Família Escola’.

“Isso seria uma ‘compensação’ de benefícios? Ora, o pai de família que tem a pobreza como companheira diuturna iria tirar da quantia do Bolsa Família (que não é tão significativa) para arcar com a conta de energia?”, questiona Wellinton.

Ele disse que “sob o ponto de vista material, isso soa como uma compensação e, assim, acaba por não impor, de fato, melhoria alguma. Mais do que mero questionamento, ressalto o compromisso que assumi com o povo do Maranhão e é em defesa desse povo que solicito que os demais deputados desta Casa também se debrucem sobre o tema, pois, certamente, é interesse de todos nós, parlamentares, zelar pela dignidade de cada cidadão”, ressaltou o parlamentar.

Relator Ricardo Rios diz que lei traz segurança a trabalhadores

Deputado Ricardo Rios

Deputado Ricardo Rios

O deputado Ricardo Rios (PEN) disse que a Assembléia Legislativa deu uma contribuição de grande importância em favor dos trabalhadores ao aprovar por unanimidade, hoje(27) pela manhã, o projeto de Lei nº 037/15 de autoria do Deputado Fernando Furtado (PC do B), que institui mecanismo de controle do patrimônio público do Estado do Maranhão dispondo sobre provisões de encargos trabalhistas a serem pagos às empresas contratadas para prestar serviços de forma contínua, no âmbito da administração pública. Relator do projeto, Ricardo Rios observou: “Sobre à nova lei, que teve a brilhante iniciativa do deputado Fernando Furtado, gostaria de destacar a palavra Segurança, pois é isso que o trabalhador terá ao final de um contrato com empresas privadas no âmbito estadual”.

De acordo com a lei 037/15, que tem como propósito assegurar o pagamento dos trabalhadores no ato do repasse dos recursos financeiros feitos às empresas, “as provisões de encargos trabalhistas relativas a férias, décimo-terceiro salário e multa do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) por dispensa sem justa causa, a serem pagas pelos órgãos e entidades da Administração Pública Estadual e empresa contratadas para prestar serviços de forma contínua, serão retidas do valor mensal do contrato e depositadas exclusivamente em banco púbico oficial”. Diz ainda a lei que os depósitos devem ser efetivados em conta corrente vinculada (bloqueada para movimentação), aberta em nome da empresa, unicamente para essa finalidade com movimentação somente por ordem do órgão ou entidade contratante.

IEMA – Ricardo Rios reportou-se ainda à reunião que prefeitos de municípios contemplados com as primeiras unidades do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) tiveram com o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Bira do Pindaré no início da semana. “Trata-se de um grande programa do governo Flávio Dino que irá trazer mais oportunidades e perspectivas de futuro para os nossos jovens de modo que eles possam se qualificar e assim contribuir com o desenvolvimento do nosso estado”, afirmou.

Os Iemas funcionarão como estabelecimentos de ensino médio, com formação profissional nos padrões da antiga escola técnica federal, que tantos e bons serviços prestaram no passado. Estão previstos também espaços que permitam aos estudantes permanecerem no Instituto em tempo integral, o que inclui refeitórios, banheiros, quadra, piscina, entre outros equipamentos.

Município de São Luís aprova texto do Plano Municipal de Educação

Secretário Geraldo Castro Sobrinho apresenta linhas gerais do Plano Municipal de Educação de São Luís

Secretário Geraldo Castro Sobrinho apresenta linhas gerais do Plano Municipal de Educação de São Luís

O município de São Luís concluiu nesta quarta-feira (27) a elaboração do Plano Municipal de Educação (PME). O documento, que define metas e estratégias para o setor até o ano de 2024, foi aprovado no colóquio “A importância do Plano Municipal de Educação na construção da política educacional de qualidade social”. O evento foi realizado no auditório Alberto Abdalla, na sede das Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema) e contou com a participação de educadores, representantes de instituições do poder público e da sociedade civil organizada, gestores escolares e representantes de famílias de estudantes.

“Nós trabalhamos conjuntamente com a sociedade civil e com várias entidades representativas para termos um texto que contemple as reais prioridades da educação de nossa cidade. Esta parceria foi muito produtiva e hoje culmina na aprovação do Plano Municipal de Educação, que é a concretização documental dos interesses coletivos relacionados às políticas públicas na área”, disse o prefeito Edivaldo.

O colóquio foi organizado pelo Fórum Municipal de Educação de São Luís (FME). Na cerimônia de abertura, o coordenador do Fórum e secretário municipal de Educação, Geraldo Castro Sobrinho, parabenizou todos os que contribuíram para a construção do PME e disse que a aprovação do Plano Municipal de Educação na instância do Fórum é um marco para a cidade de São Luís, consolidado na gestão do prefeito Edivaldo.

“Este documento vem sendo discutido e preparado há bastante tempo. Ele traz consigo a participação do coração e das mentes de todos que nele trabalharam. Por isso defendi nas reuniões do Fórum e continuo a defender durante este colóquio a importância de fazer este momento de debate para consolidar o caráter democrático das discussões que já realizamos. O Plano Municipal de Educação não se fechará só em letras e palavras, mas na certeza de que as metas serão cumpridas para melhorar a qualidade de ensino municipal”, disse Geraldo Castro.

Também esteve presente ao evento o vice-presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal de São Luís, vereador Pavão Filho. Ele é autor do Projeto de Lei nº 5.780/2013, sancionado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior, que criou o Fórum Municipal de Educação para reunir poder público e sociedade civil e discutir a temática na cidade. “O Fórum é um ambiente que chama todos os atores do processo educacional para discutir essa política pública de forma democrática e participativa, com o objetivo de melhorar os indicadores educacionais e a qualidade de ensino. O plano municipal é resultado desde debate que começou no fórum”, explicou o vereador Pavão Filho.

O PME estabelece 20 metas e cerca de 300 diferentes estratégias com o objetivo de garantir avanços significativos na área educacional até o ano de 2024. Valorização dos profissionais do magistério, recursos para a área da educação e diversidade de gênero estão entre os temas abordados pelo documento e que foram discutidos durante o colóquio.

A presidente do Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Pública Municipal de São Luís, Elisabeth Castelo Branco, reforçou a importância do debate. “Esse colóquio hoje é de fundamental importância para que reflitamos aquilo que nós queremos para nossa educação e possamos alcançar bons resultados no ensino público municipal”, disse a professora Elisabeth.

Debates – Com o objetivo de consolidar o processo democrático de construção do Plano Municipal de Educação, o colóquio de aprovação do documento contou com a consultoria de uma equipe de especialistas e mestres em diversos segmentos educacionais.

Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, Educação Superior, Gestão, Financiamento e Valorização dos Profissionais do Magistério estão entre os temas que foram debatidos com a mediação de profissionais especializados. A consultoria possibilitou dirimir dúvidas pontuais durante as discussões e assegurar assim a aplicabilidade das metas propostas.

A versão preliminar do PME foi entregue ao Fórum Municipal de Educação em março de 2014. O documento foi construído por uma comissão especializada, após reuniões em escolas de São Luís e representantes do poder público, da sociedade civil organizada e da comunidade em geral.

O PME passou ainda por dois períodos distintos de consulta pública: o primeiro, em 2014, para as contribuições da sociedade em geral. O segundo, na semana que antecedeu o colóquio, para que as instituições participantes do evento tivessem acesso à versão mais recente do documento e enviassem as últimas contribuições. O balanço dos debates foi tema também de encontro com a presença do coordenador do Fórum Nacional de Educação, Heleno Manoel Gomes de Araújo Filho.

O Plano Municipal de Educação seguirá para a Câmara de Vereadores de São Luís, onde será analisado e colocado em votação e depois, para sanção do prefeito Edivaldo. Estavam ainda presentes à solenidade a secretária estadual de Educação, Áurea Prazeres; a titular da 2ª Promotoria de Justiça Especializada em Defesa da Educação, Maria Luciane Lisboa Belo; o presidente do Conselho Municipal de Educação, Roberto Mauro Gurgel e a coordenadora municipal da Mulher, Vânia Albuquerque.

Também esiveram no evento a consultora do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Andréia Barbosa; a presidente do Conselho Municipal do Fundeb, Lindalva Lopes; e representantes do Conselho Tutelar da Vila Luizão, da Associação dos Amigos dos Autistas (AMA), da Associação dos Travestis e Transexuais do Maranhão (Atrama), do Grupo Gayvota e da Federação das Uniões de Moradores de Bairros e Entidades Similares do Maranhão (Fumbesma), entre outras entidades, além de gestores escolares e professores.

Comissão de Meio Ambiente aprova requerimento do deputado Weverton

Deputado Weverton Rocha (PDT)

Deputado Weverton Rocha (PDT)

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou, nesta quarta-feira, 27, requerimento do deputado federal Weverton Rocha (PDT), que solicita a realização de audiência pública para discutir os impactos ambientais provocados pelo despejo de água de lastro nas águas dos portos brasileiros.

De acordo com o pedetista, navios de todos os continentes que se deslocam em direção aos portos brasileiros trazem em cada um de seus porões, cerca de 60 mil toneladas de água de lastro. Ele ressalta, ainda, que ao ancorarem, os navios precisam esvaziar seus compartimentos, inclusive a água coletada em outros países. “O problema é que a água oriunda do exterior, despejada nos portos brasileiros está repleta de organismos invasores que podem destruir o ambiente aquático provocando desequilíbrio no ecossistema”, alertou.

No requerimento, o parlamentar, expõe a preocupação com o estado atual da contaminação das águas maranhenses, já que em pesquisa divulgada pelo departamento de Oceanografia e Limnologia da Universidade Federal do Maranhão (Deoli/Ufma) foram encontradas 22 espécies exóticas, entre as baías de São José e São Marcos, e no levantamento de espécies planctônicas na baía de São Marcos, realizado entre outubro de 2008 e novembro de 2009, especificamente no Porto do Itaqui, identificou, ainda, três espécies de cracas exóticas, que estão levando as cracas locais à extinção.

“A audiência pública vai ser muito importante para discutir esses impactos ambientais provocados pela água de lastro despejada nos portos brasileiros, com a oitiva de pesquisadores, autoridades e representantes de empresas e trabalhadores”, disse Weverton.

Vinicius Louro defende maior liberação de verbas para municípios maranhenses na “marcha dos prefeitos”

Vinicius Louro defende maior liberação de verbas para municípios maranhenses na “marcha dos prefeitos”

Vinicius Louro defende maior liberação de verbas para municípios maranhenses na “marcha dos prefeitos”

O deputado estadual Vinicius Louro participa com uma comitiva de prefeitos e vereadores do Médio Mearim da 18° Marcha Para Prefeitos que acontece em Brasília entre os dias 25 e 28 de maio.

A Marcha dos Prefeitos visa reivindicar melhorias para os municípios em várias áreas, com aumento de repasse de dinheiro por parte do governo federal. Vinicius Louro também está tentando viabilizar junto ao Governo, a liberação dos recursos das emendas federais dos municípios maranhenses que sofrem com a drástica queda na arrecadação do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

A Marcha tem discutido o repasse de fundos da União para as cidades do País no contexto de ajuste fiscal. Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, a “Marcha dos Prefeitos”, como é conhecida, deve ter mais força este ano. “A crise que se abateu sobre os governos federal e estaduais agravou a situação dos municípios. E agora, com os ajustes do governo, estamos vivendo uma situação de caos”, afirma.

Vinicius Louro defende que este é o momento certo para unir forças em defesa dos municípios. “Estou aqui com os prefeitos, vereadores e secretários municipais do Médio Mearim, não podemos perder a esperança, para que os nossos municípios cresçam é necessário que o governo reveja sua planilha de ajuste fiscal e equilibre os orçamentos para as prefeituras”.

A 18ª Marcha a Brasília em defesa dos Municípios ocorre no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB) em Brasília, este ano com mais de 7 mil pessoas que estão credenciadas no evento, nos anos anteriores, a média foi de 5 mil participantes. Na quarta-feira, 27, deve receber os presidentes do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A presidente Dilma Rousseff, citada na programação do evento, está no México e deve voltar ao Brasil na quinta-feira, 28.